logotipo medievalista

 
   
 
Número 27 | Janeiro – Junho 2020 ISSN 1646-740X
 

logo IEM


TODOS OS NÚMEROS /
PREVIOUS ISSUES


EDIÇÃO / EDITORS

CONSELHO EDITORIAL / ADVISORY BOARD

ARBITRAGEM CIENTÍFICA 2018 / PEER REVIEWING 2018

WEB DESIGNER


CONTACTOS / CONTACTS

INSTRUÇÕES AUTORES / AUTHOR’S INSTRUCTIONS

ÉTICA E BOAS PRÁTICAS DE PUBLICAÇÃO / ETHICS AND MALPRACTICE STATEMENT

REVISTAS INTERNACIONAIS / RELATED PUBLICATIONS

CALL FOR PAPERS



ISSN 1646-740X

logo FCSH

A Revista Medievalista é um Projecto desenvolvido com o apoio da

fct


 

 

 

 

Resumos / Abstracts

 

Inês Olaia
O rei que esmorece e a rainha sanhuda: a crise dinástica de 1383-1385 através das emoções nas crónicas de Fernão Lopes / The king that faints and the angry queen: the dynastic crisis of 1383-1385 through emotions in the chronicles of Fernão Lopes
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEXT]

The 1383-1385 dynastic crisis has been studied by generations of historians. This article aims to contribute to the debate through a florescent historiographical field that does not seem to have been used to analyse the main narrative of the events, written by Fernão Lopes: the History of Emotions. We will study the emotional palette expressed by the kingdom’s official chronicler and perceived by his Portuguese medieval readers in an attempt to understand how it sustains the rise to the throne of the Master of the Military Order of Avis. The work is structured around three royal couples and the emotions expressed and provoked by them: Leonor Teles and D. Fernando as the bad example because of their emotional imbalance that drives the kingdom to chaos and the inadequacy of the roles they play to what is expected from them; Juan I of Castile and Beatriz of Portugal who arise despair and negative emotions; João I and Philippa of Lancaster who help to restore normality by their balanced and positive performance. In each of these cases the first element mentioned is dominant on the references.
Keywords: 1383-1385 dynastic crisis, History of emotions, Fernão Lopes..

A crise dinástica de 1383-1385 foi alvo de estudo por gerações de historiadores. Este artigo pretende contribuir para o debate através de um campo florescente da historiografia que não parece ter ainda sido utilizado para analisar o relato principal dos acontecimentos, da pena de Fernão Lopes: a História das Emoções. Estudaremos assim a paleta emocional expressa pelo cronista-mor do reino e percecionada pelos leitores das crónicas do Portugal Medieval, no sentido de entender como é que sustenta a subida ao trono do Mestre de Avis. O artigo encontra-se estruturado em torno de três casais régios e das emoções por eles exprimidas e provocadas: Leonor Teles e D. Fernando, como o mau exemplo, pelo desregramento emocional que conduz o reino ao caos e a desadequação dos papéis que desempenham àquilo que deles se espera; Juan I de Castela e Beatriz de Portugal, que pontuam pelo desespero e emoções negativas que provocam; João I e Filipa de Lencastre, como retorno à normalidade, pelo bom desempenho, regrado e positivo. Em todos eles, é o primeiro elemento enunciado que domina as referências.
Palavras-chave: Crise de 1383-1385, História das emoções, Fernão Lopes.

 

 
florao cinz   topo home
 

Daniel Santana, Marco Sousa Santos
O cruzeiro medieval de Tavira / Tavira’s medieval stone cross Tavira’s medieval stone cross
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEXT]

For centuries ignored or wrongly identified as a chapiter or part of a pillory, it is possible that the carved stone piece stored in the municipal museum of Tavira (Palácio da Galeria) – so far only identified with the code MMT228 – is actually an element of a vanished medieval stone cross. Probably executed in the Algarve region in the fifteenth century, one of the periods of greatest prosperity of the village, this piece was originally placed in an urban privileged space, possibly in one of the village entries, or perhaps near the ancient convent of Saint Francis.
Keywords: Medieval sculpture, Stone cross, Tavira.

Durante séculos ignorada ou erroneamente identificada como um capitel ou parte de um antigo pelourinho, tudo indica que a peça de cantaria lavrada, guardada no espólio do Museu Municipal de Tavira (Palácio da Galeria), e até agora apenas identificada com o código MMT2285, é na verdade um elemento de um desaparecido cruzeiro medieval. Provavelmente executada numa oficina da região algarvia no século XV, num dos períodos de maior prosperidade da povoação, esta peça terá originalmente estado colocada num espaço privilegiado do ponto de vista urbanístico, possivelmente numa das entradas da então vila ou, em alternativa, nas proximidades do antigo convento de São Francisco.
Palavras-chave: Escultura medieval, Cruzeiro, Tavira.

 
florao cinz   topo home
 

Joseph T. Snow
Mary’s role in the repudiation of their beliefs of Pagans, Jews and Moors /
O papel da Virgem Maria no repúdio das crenças de pagãos, judeus e mouros
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEXT]

The Cantigas de Santa Maria of Alfonso X, king of Castile and León (1252-1284) contains 420 miracles and praise songs for the Virgin Mary. We have identified 41 with Jewish protagonists, 51 with Moors and 5 with pagans. Ten of these − three with Jews, 6 with Moors and one with a pagan − have been selected for treatment as they involve conversions to Christianity. Side by side, the actions of these miracle narrations are supported by what Alfonso declared to be their treatment in his law code, the Siete Partidas. There, laws regarding how non-Christians are to be treated along with specific laws about their conversion to the Christian law of the land are taken into account. Members of their religions may not impede conversions under penalty of death by fire. Both the Cantigas and the Siete Partidas reflect one another faithfully.
Keywords:
Cantigas de Santa Maria, Jews, Moors, Pagans. Conversion to Christianity.

As Cantigas de Santa Maria de Afonso X, rei de Castela e Leão (1252-1284) contêm 420 milagres e louvores à Virgem Maria. Identificámos 41 milagres cujos protagonistas são judeus, 51 sobre mouros e 5 sobre pagãos. Destes, selecionámos dez – três com judeus, seis com mouros e um com um pagão – uma vez que só estes apresentam conversões ao Cristianismo. Comparativamente, verifica-se que a ação destas cantigas narrativas coincide com o que Afonso X afirmou nas suas Siete Partidas, sobre o modo como os não cristãos devem ser tratados. Tivemos em consideração, não só as leis sobre o modo como os não cristãos devem ser tratados nos seus reinos, mas também aquelas leis mais específicas que se reportam à conversão ao cristianismo vigente. Os restantes elementos das suas religiões não podem impedir as conversões, sob pena de morte pelo fogo. As duas obras afonsinas, apesar dos seus diferentes formatos, apoiam-se mutuamente.
Palavras-chave: Cantigas de Santa Maria, Judeus, Mouros, Pagãos, Conversões ao cristianismo.


 
florao cinz   topo home
 

Hilário Franco Junior
The serpent, mirror of Eve. Iconography, analogy and misogyny in the end of the Middle Ages / A serpente, espelho de Eva. Iconografia, analogia e misoginia em fins da Idade Média
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEXT]

In the vast medieval iconography of the original Sin, the formula Adam and Eve on different sides of the Forbidden Tree, with the serpent facing the woman prevailed for a long time. In the thirteenth-fifteenth centuries an innovation would have great success: the serpent that induces Eve to sin has often been figured with feminine features. As for the historian there should be no unexplored facts, as irrelevant as they may seen at first glance, this article is an attempt to explain the purpose of those images. The hypothesis presented results from the articulation of three strong elements in the world view of that time: imagery language, analogical argumentation and misogynistic practice.
Keywords: Eve, Serpent, Iconography, Analogy, Misogyny.

Na vasta iconografia medieval do Pecado original, durante muito tempo prevaleceu a fórmula Adão e Eva em lados diferentes da Árvore proibida, com a serpente voltada para a mulher. Nos séculos XIII-XV uma inovação conheceria grande sucesso: a serpente que induz Eva ao pecado passou várias vezes a ser figurada com feições femininas. Como para o historiador não deve haver factos inexplorados, por mais irrelevantes que pareçam à primeira vista, este artigo é uma tentativa de explicação da razão de ser daquelas imagens. A hipótese apresentada resulta da articulação de três elementos fortes na visão de mundo da época: a linguagem imagética, a argumentação analógica e a prática misógina.
Palavras-chave: Eva, Serpente, Iconografia, Analogia, Misoginia.


 
florao cinz   topo home
 

Santiago Barreiro
The land from which monsters come: on the fīfẹlcynnes eard in Beowulf, v. 104 / El país del que vienen los monstruos: sobre el fīfẹlcynnes eard en Beowulf, v. 104
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEXT]

This article aims to analyse semantically and culturally the expression fīfẹlcynnes eard in the epic-elegiac Old English poem Beowulf. The analysis focuses on the first element (fīfẹl-), given the complexity involved in its explanation, by reference to its ties with biblical themes, and to two close vernacular literatures, Irish and Old Norse. The text proposes that, instead of proposing a directly monstrous character as it is usual in translations, the expression refers mostly to a space of wilderness and excess.
Keywords: Old English, Semantics, Beowulf, Monstrosity, Exile.

El texto busca analizar semántica y culturalmente la expresión fīfẹlcynnes earden el poema épico-elegíaco anglosajón Beowulf. El análisis se enfoca centralmente en el primero de esos términos (fīfẹl-), particularmente complejo en su explicación, con referencia particular a sus lazos con la imaginería bíblica y dos literaturas vernáculas cercanas al texto anglosajón, la irlandesa y la nórdica antigua. El texto propone que, a diferencia de una asociación directa con un carácter llanamente monstruoso, habitual en las traducciones, la expresión se refiere a un espacio de salvajismo y desmesura.
Palavras-chave: Anglosajón, Semántica, Beowulf, Monstruosidad, Exilio.


 
florao cinz   topo home
 

Duarte de Babo Marinho
Diplomacy and diplomats in the late Portuguese Middle Ages (1431-1475) / A diplomacia e os diplomatas na baixa Idade Média portuguesa (1431-1475)
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEXT]

Our main objective is to carry out an overall reflection on the men who formed the Portuguese royal diplomacy between 1431 and 1475. Therefore, in addition to pointing out some lines of force regarding the constituent members of the Portuguese embassies, like the composition the characteristics of diplomatic agents and the monarch's strategies for recruitment, we will seek to highlight certain issues such as the acquisition of skills and the duration of careers.
Keywords: Diplomacy, Ambassadors, Middle Ages, Social profiles, Medieval elites.

Temos como principal objetivo proceder a uma reflexão de conjunto sobre os homens que davam corpo à diplomacia régia portuguesa entre 1431 e 1475. Assim, para além de apontarmos algumas linhas de força relativas aos membros constituintes das embaixadas portuguesas, nomeadamente no que se refere à composição social destas, às características dos agentes diplomáticos e às estratégias do monarca para o seu recrutamento, procuraremos destacar algumas questões como a aquisição de competências e a duração de carreiras.
Palavras-chave: Diplomacia, Embaixadores, Idade Média, Perfis sociais, Elites medievais.